Ainda não escolheu o nome do seu pet? Inspire-se em seus personagens favoritos de filmes ou séries

Ainda não escolheu o nome do seu pet? Inspire-se em seus personagens favoritos de filmes ou séries
Além de ser uma opção diferente, o tutor pode usar esta técnica, superdivertida, para homenagear o seu personagem preferido; veterinária orienta dicas na hora da escolha.

Na hora que adotamos o nosso filhote, sempre bate aquela dúvida: E agora, qual nome devo dar ao novo integrante da família? Bem, a escolha do nome é uma das tarefas mais difíceis de se decidir. A decisão do nome é muito importante, pois será o chamado que o animalzinho atenderá e como outras pessoas reconhecerão o seu pet.

Uma maneira usada para fugir do convencional, utilizada por muitos tutores, é inspirar os nomes dos peludos nos personagens de filmes ou séries. O É o Bicho traz alguns exemplos de tutores que usaram desta técnica superdivertida.

Ao escolher um nome, uma dica é pensar em algum que tenha a ver com o cão, o seu temperamento ou comportamento. O casal Arlequina e Coringa são cãezinhos da raça chow-chow. Os tutores Matheus Moreira e Leonardo Basílio, de 16 anos, contaram que os animais foram adotados com estes nomes e devido à aparência, decidiram por não mudar.

“Quando decidimos ficar como os dois chow-chows, o antigo dono falou que eles se chamavam Arlequina e Coringa, eu achei bem engraçado a brincadeira, e como nós gostamos do filme [Esquadrão Suicida] e eles têm a carinha parecida com os personagens, resolvemos manter com o mesmo nome”, explica o estudante Matheus.

Com uma incrível habilidade de luta, a princesa guerreira Xena, personagem de uma série australiana, foi a responsável por chamar a atenção do produtor rural Misael de Oliveira, que virou fã do programa, uma mistura de ação, aventura e mitologia que foi desenvolvida nos anos 90 e teve a sua última temporada em 2001.

“Sou muito fã da princesa guerreira. Quando ela passava na TV aberta, sempre que podia eu assistia. E quando decidimos adotar mais uma cadelinha aqui para casa, eu não pensei duas vezes em homenagear a personagem e coloquei o nome da cadelinha de Xena. Ela é muito forte, assim como a princesa”.

Quando se fala em heróis vários nomes vêm a nossa cabeça. No caso do funcionário público Caio Cesar Almeida, de 24 anos, e de seu filho, o Eduardo, de 4 anos, a série Os Vingadores prevalece, até mesmo no nome do animal de estimação.

“Gostamos muito de filmes e seriados sobre heróis, e quando adotamos o nosso cachorro decidimos homenagear um personagem e escolhemos o Thor. O meu filho gostou muito e recentemente fizemos até uma festa de aniversário para o Eduardo com o tema ‘Os Vingadores’, com direito a fantasia e tudo”, conta Caio Cesar.

Já o estudante Matheus Antunes, de 20 anos, diz gostar muito dos livros e as adaptações para o cinema das histórias da britânica J. K. Rowling. Devido a isso, o estudante decidiu dar o nome de Harry Potter ao seu melhor amigo. Mas ele conta que se preocupou se o animal iria acostumar com o nome.

“Eu, como fã, quis dar esse nome para ele, para homenagear a história. Como Harry Potter é muito grande, eu o chamo como o personagem do filme, somente de Potter, e ele acostumou muito bem”.

Cuidados na escolha

De acordo com a veterinária Camila Rodrigues, na hora de escolher o nome do animal é preciso que os tutores estejam atentos a alguns detalhes, como escolher um que não soe como um comando, “para que não prejudique o entendimento do animal. O nome também não deve ser semelhante ao nome de outros membros da família; tudo com o intuito de não confundir o pet quando o tutor o chamar”.

Outra dica dada pela veterinária é escolher um nome curto, pois palavras menores são mais fáceis de serem memorizadas pelo peludo. “É necessário que o nome tenha, em média, de duas a três sílabas para facilitar na memorização. E os tutores devem estar cientes que não se pode ficar trocando o nome do animal, para que não o atrapalhe a se identificar quando for chamado. Além disto, é preciso que se evite chamar o pet de nomes comuns usados por humanos, a fim de evitar futuros constrangimentos”.

Deixe uma resposta